Com gritos "não é meu presidente" que voltaram a ecoar nas ruas do EUA nesta quinta-feira (10). Milhares de pessoas - estudantes em sua maioria - em protestos em várias cidades dos Estados Unidos não aceitam a vontade da maioria dos americanos a que deram a vitória a Donald Trump.

Entre as 300 pessoas que protestaram em Baltimore, uma faixa dizia: "não escolhi o ódio como meu presidente".

Também ocorreram protestos em Chicago, Denver, Dallas e outras cidades na noite desta quinta.
"Não posso defender uma pessoa que legitimou o sexismo, o racismo e a xenofobia. Se você tem um amigo muçulmano, um amigo gay, um amigo negro, precisa estar aqui. Estou furiosa com meus amigos brancos que votaram nele", declarou Elizabeth Byrd, uma terapeuta de 30 anos que trabalha em uma escola pública do Colorado.

"Estamos mostrando como serão os próximos quatro anos. Serão quatro anos de resistência", disse Kaila Philo, uma estudante de 21 anos, ao jornal "Baltimore Sun".

Centenas de alunos da prestigiosa Universidade de Los Angeles (UCLA) se reuniram no campus para expressar sua frustração com o resultado eleitoral de terça-feira (8).

Fonte: BBC Londres

Share